Por que eu escrevo?

Eu evitei essa pergunta muitas vezes, porque sabia que, para respondê-la, eu teria de retornar ao âmago da infância.


Eu sempre li muito. Minha história é também a história dos livros que li: não consigo me lembrar de mim sem um livro na mão.


Dentro da infância também houve o silêncio. Um silêncio enorme. Aos oito, nove anos já preenchia diários. Uma coisa se uniu a outra. Não sei separar a escrita da vida. Sempre foi assim.


Eu comecei a escrever para dar voz a esse silêncio e para entender o que eu sentia e quem eu era.

É por isso que escrevo até hoje. Para dar voz a silêncios. Aos meus, mas não apenas aos meus. Para mim, escrever é contato. É comunicação. É encontro. Eu quero falar com aqueles que têm silêncios como os meus, mas também com os que não têm.


Escrever é olhar bem fundo e bem próximo. É um mergulho que faz respiro. Não escrever seria morrer.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: